31 de mayo de 2011

Vaga rosa



Sinto saudades e,
Olho para trás vagarosa...
Era só silêncio e absoluta escuridão.
Entre as frestas do tempo,
Esses instantes perdidos.
Ouço ruídos da rua,
Vaivens de veículos.
À janela do meu sossego
Aqui estou, nada espero...
...e o futuro é apenas uma porta entreaberta.



Ivana, 27 de mar/2011.

2 comentarios:

  1. Oi Ivana...
    Ricas metáforas na sua poesia...
    Enxergar o futuro como "porta entreaberta" é meio que instigador, é aquela coisa que a gente vê mas não vê, não está totalmente fechado nem totalmente aberto...
    Parabéns!
    Gostei!
    Té!

    ResponderEliminar
  2. Weslley,
    É sempre bom saber o que o leitor pensa sobre o que escrevemos. As suas impressões enriqueceram as minhas sobre o que eu mesma escrevi... um lado meu quase inconsciente surge como uma ponta de iceberg no que escrevo. Grata a você por expressar os seus olhares.

    ResponderEliminar