22 de mayo de 2011

Triste partida

Um barco de papel navega

tranqüilo

Sob o olhar do menino

Sobre a lama

levado

por incertos ventos

 
Ivana Oliveira

3 comentarios:

  1. Gosto de poemas assim - imagéticos. A gente vai pintando as sugestões de imagens(O barco de papel, o olhar do menino, a lama).

    Os ventos sopram e nós - como pipas - entramos nas suas correntes; às vezes, elas nos levam para campos não esperados - mas continuemos bailando no ar.
    Parabéns, Ivana.
    Obrigado pela visita.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Weslley,
    Confesso que gosto de abusar desse recurso, rsrs. Tenho outros mais antigos nesse mesmo estilo, alguns trazem uma nostalgia muito forte, outra característica minha, sou nostálgica pra caramba!
    O seu poema é muito bem escrito, eu diria que é perfeito! Não é pra rasgar seda não, heim... Mas gostei muito, parece muito ao momento que estou vivendo... os ventos estão me levando para campos NUNCA esperados, rsrs. Continuemos bailando, por favor! Se não for assim, a vida não vale a pena.

    ResponderEliminar
  3. Grato, Ivana.

    Vamos continuar, sim, bailando, pelos ares da poesia.
    Você falou que tem essa característica nostágica. Acho que iria gostar do último CD de Legião Urbana, não se vc conhece: "A Tempestade". Eu adoro. Tem esse vies poético-melancólico.

    Abraços! Té!

    ResponderEliminar